06/12/08
Prefeitura é acusada de contratar empresa para camuflar contas 
Durante o pequeno expediente, na última reunião da Câmara o vereador Edno José de Oliveira, disse que foi procurado por um cidadão que contou que a Prefeitura contratou empresa para "camuflar", "maquiar" as contas da Prefeitura, de forma a evitar que a Administração Municipal seja imputada na Lei de Responsabilidade Fiscal. Afirmou que essa empresa estaria planejando utilizar um decreto lei de forma totalmente irregular a fim de realizar esse tipo de "maquiagem". Edno lembrou que a desobediência à Lei de Responsabilidade Fiscal pode implicar em perda de mandato e até mesmo reclusão, e que há grandes indícios de que a atual Administração a esteja desobedecendo. Pediu a formação de uma comissão de vereadores para verificar a denúncia in loco, pois considera o caso um caso de polícia.
O vereador Rosse Andrade Silva falou sobre reunião realizada com representantes da Libertas Auditores e Consultores, contratada para análise da documentação referentes aos repasses de verbas da Secretaria Municipal de Saúde ao Hospital Manoel Gonçalves. Sugeriu que seja realizada uma reunião, se possível na próxima segunda-feira, às 10 horas, com a presença da Promotoria de Justiça, o Juiz de Direito, o Provedor do Hospital, o Secretário de Saúde e os vereadores, para discussão do relatório entregue pela Libertas Auditores e Consultores com a finalidade de buscar uma solução definitiva do problema. Afirmou que o relatório aponta para uma situação caótica, e por isso considera urgente a necessidade de realização da reunião sugerida.
O vereador Donizete Geraldo de Lima, falou da contratação, por parte da Prefeitura, de empresa particular para elaboração de projeto de retirada da linha férrea da zona urbana de Itaúna, "empresa essa contratada por um preço altíssimo sem resultados positivos". Afirmou que, em 2005, já pedia providências para resolução dos problemas trazidos pelos 19 cruzamentos da linha férrea com vias urbanas dentro dos limites do Município, mas até hoje o problema não foi resolvido. Lembrou que vários cidadãos enfrentam problemas sérios com as rachaduras e com o incômodo trazido pela presença constante das locomotivas e vagões dentro da zona urbana de Itaúna. Pediu que a Mesa Diretora cobre do Prefeito a retirada da linha férrea de dentro dos limites urbanos, mas enquanto essa obra não se realize, que sejam adotadas medidas para aumentar a segurança nos cruzamentos da linha férrea com vias urbanas e também para diminuir a trepidação e a poluição sonora trazida pelas locomotivas e vagões.