07/04/18
Prefeitura entra com ADIN contra a Lei Marcinho
Rosilda Arcanjo Dutra participou da Tribuna Livre quando reclamou da falta de ônibus coletivo no bairro Olímpio Moreira. O serviço que era prestado ao bairro há seis anos, deixou de existir. Ela pediu aos vereadores que ajudassem que o serviço de transporte no bairro seja restabelecido.
Rosilda ganhou o apoio dos vereadores, mas mais uma reclamação do serviço prestado pela Autotrans foi a gota d’água para mais um desabafo do vereador presidente da Casa, Márcio Gonçalves, contra a empresa. Disse que a empresa não cumpre a lei que não permite o acúmulo da função de motorista e de cobrador para não expor a população a riscos de acidentes. "Sinceramente, tenho que fazer aqui um desabafo. Estranhou-me muito a própria administração entrar com uma ADIN - Ação Direta de Inconstitucionalidade -, quando isto deveria ser de iniciativa da própria Autotrans; além de não de não fazerem cumprir a lei, que é de irrelevante interesse público. Sinceramente, quero deixar aqui o meu desabafo. Eu falei que eu não vou descansar enquanto não tomar as medidas cabíveis contra este absurdo".
Marcinho disse que espera que a empresa tenha a sensibilidade de dar descontos no valor da tarifa já que ignora a Lei Marcinho e não contrata trocadores, mas colocou os salários referentes a eles nas planilhas de custo, na hora de pedir aumento. "Se eles não contratam os cobradores, eles estão economizando estes valores, então têm que fazer o desconto para a comunidade" finalizou.