07/04/18
Moradores do Piaguassu culpam Prefeitura por interromper obra
Nesta semana circulou nas redes sociais um texto de um morador do bairro Piaguassu chamando atenção para a paralisação da construção da passarela que atenderia aquela região. Segue na íntegra a publicação: "Gente ,quero através do Facebook, expressar minha indignação com o órgão meio ambiente de Itaúna, à respeito da passarela no bairro Piaguassu, em Itaúna, próximo MG 050, saindo para BH. É uma reivindicação da população não só do bairro citado, mas Várzea da Olaria, Irmãos Auler, Leonane que precisava fazer esta travessia na rodovia. A Nascentes das Gerais que comanda a rodovia cobrando pedágio, começou a fazer a passarela, faltando apenas uma rampa e uma escada para finalizar a obra; aliás parabéns à empresa que foi rápida à obra ,agora não pode finalizar por causa de uma árvore (apenas uma árvore) que está onde será construída a rampa. Agora eu pergunto a este órgão, uma árvore vale mais que vidas que atravessam lá todos os dias, mãe com crianças indo para escola, certeza mais uma tragédia neste local está prestes a acontecer, Vão esperar acontecer para liberar a passarela? Não tem nenhum representante em Itaúna pra olhar pra nós, não ?"
Realmente, duas árvores estão bem no local onde deve ser continuada a obra da passarela do bairro Piaguassu, mas não é verdade que o impedimento partiu da Secretaria de Meio Ambiente de Itaúna que não pode interferir no local, já que é de competência do Governo do Estado. E foi da Secretaria Estadual de Meio Ambiente que partiu a interdição da obra até que todas as licenças ambientais sejam apresentadas. Em nota à GAZETA DE ITAÚNA, a Nascentes das Gerais, fez o seguinte esclarecimento: "A AB Nascentes das Gerais informa que as obras de implantação da rampa e escada de acesso da passarela do lado leste da MG-050, no km 84+250, devem ser retomadas em até 30 dias, caso o órgão ambiental confirme a emissão da licença de instalação ainda para esta semana.
Cabe ressaltar que as obras encontram-se paralisadas em razão de restrições ambientais existentes no local.".